Número total de visualizações de página

6.19.2012

EXAME DE MATEMÁTICA B

Só almas mesmo muito elevadas, a roçar o estado Zen é que aguentam... e mesmo essas, tremem perante uma vigilãncia de exame. Não se aguenta! Entras na escola às oito da matina para às oito e meia te darem um envelope selado com as provas... Se te atrasas e chegas ao Secretariado de Exames às oito e trinta e dois ou trinta e cinco, levas com uma falta a encarnado só justificável com um atestado médico... o que signfica que vais perder  a tarde no agradável Centro de Saúde de tua zona a pedinchar o dito atestado à tua médica de família, isto se ela não tiver ido já de férias... Porque se a gaja foi de férias, tás literalmente lixado/a... Caso o dia seja de sorte e a gaja esteja por lá e bem disposta, vai mentir com os dentes todos, pondo no papelinho que tu estiveste doente nesse dia quando o que aconteceu foi que te atrasaste dois ou três minutos embora o exame propriamente dito só comece às nove horas e  tu tenhas chegado às oito e trinta e cinco e os alunos só entrem na sala às oito e quarenta e cinco e o toque de cortar o envelope com a tesoura só apite às nove.
Se não entenderam façam de conta ou eu explico de novo!

Ultrapassada esta primeira fase, estás na sala, os alunos entram, são distribuídos pela ordem de pauta, preenchem o cabeçalho da folha de exame, conferes a sua identidade, cortas o dito envelope, distribuis os enunciados e sentas-te. Na rifa, hoje saiu-me Matemática B, 12º Ano, Código 335, Duração 150 minutos.

150 MINUTOS? Não queres acreditar que são tantos minutos... nunca imaginas o tempo que demoram cento e cinquenta minutos a passar... uma verdadeira epopeia da eternidade. O que significa que até às onze e meia, não existes! A única coisa que podes fazer é respirar! É então que tentas distrair-te a tentar decifrar o enunciado da prova que exame que para uma prof de Português surge em forma de hieróglifo: o comprimento de um arco de circunferência mais a área de figuras planas com volumes e progressões e sucessões e sistemas de restrições e círculos de valores de variáveis e espaços percorridos e taxas de variações de função, trapézios isósceles e os quadriláteros obtidos.

Durante duas horas e meia pedem-te que não tujas nem mujas, como se o mundo acabasse ali. Mas não acaba... Sai dali convencida de que a taxa média de variação da função N pedida(sendo, neste caso, função N o tempo disponibilizado aos alunos para realização do dito exame e aos profs para suportarem a hercúlea missão) não é nem positiva nem negativa: é sempre, sempre excessiva!

Sem comentários:

Enviar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO: