Número total de visualizações de página

5.21.2012

QUANTO TEMPO MAIS


Olho em volto e observo gente acorrentada às rotinas, aos afazeres, às obrigações, às vidinhas... Não os critico. Também EU já fui assim.  E às vezes ainda sou... Também já corri de manhã à noite, de um lado para o outro, saltitando entre diferentes lugares, para pura e simplesmente fazer dinheiro. Claro que me gastava, claro que me acizentava porque, quando se corre apenas com esse objetivo, a vida começa a ficar sombria. 
Eu tinha dinheiro mas faltava-me o tempo. 
Não tenho mealheiros porque nunca gostei de mealheiros. Adoro parti-los e gastar. O dinheiro para mim é como o ar. É etéreo. Desaparece-me. Foge-me por entre os dedos e eu não dou por isso. E gosto desta sensação.
Quero poder aproveitar o meu tempo ao sol ou à chuva, acompanhada de um bom livro, dos meus gatos, dos meus amigos... ou simplesmente de ti...Quanto tempo mais para percebermos que nesta azáfama já quase não sobra tempo para amar. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO: