Número total de visualizações de página

11.20.2012

MEDOS

Pela primeira vez na sua vida, o homem decidiu avançar. Atirou-se de cabeça e aterrou num novo território onde se sente feliz. Conseguiu perceber a futilidade do medo. Começou a viver exatamente naquele preciso momento em que se libertou de praticamente todos os medos. Porque quando se perdem os laços que nos ligam à terra, à família, às próprias raízes que nos prendem ao chão, chegou a hora de perder também o controlo de tudo aquilo que não se controla.
E ele percebeu que só seria livre quando finalmente perdesse o medo de perder...

Sem comentários:

Enviar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO: