Número total de visualizações de página

9.14.2014

NO HAMMAM


Em todas as três viagens que fiz à Turquia, deliciei-me com o banho turco, sempre com  diferentes experiências mais ou menos curiosas para contar. A mais marcante de todas foi sem dúvida no hamman mais antigo de Istambul, o Çemberlitas - onde, prestes já a regressar a Lisboa, ainda atordoada com as paisagens da Capadócia e os banhos em Pamukale, me ofereci o serviço completo de banho turco com direito a exfoliação e massagem. O que eu não esperava era que neste hammam datado de 1584, mandado construir  pela mulher do sultão Selim II (e obra do arquiteto Sinan), situado na praça de Çemberlitas em Sultanahmet e a um pulinho da Mesquita Azul,  eu fosse viver uma experiência inolvidável. 

Convém lembrar que esta experiência de banho turco é a sério e para as mais afoitas pois aqui, as lavadeiras de gajas chegam-se ao pé de nós com ar agreste - de gorduras dependuradas, misturando-se as mamas com a gordura abdominal, não se sabendo onde acaba uma e começa a outra - atiram-se a nós com esponjas próprias e esfregam-nos o corpo, de ponta a ponta, até aguentarmos. Nós, espojadas sobre uma magnífica pedra mármore fervilhante, perante aqueles corpos disformes, sentimo-nos as rainhas do Nilo. Fui assim lavada e esfregada e esfoliada sem dó nem piedade por uma matrona mas saí dali com veludo no lugar da pele. 

Ir a Istambul e não ir ao Çemberlitas Hammam é pior do que ir a Roma e não ver o Papa...

Sem comentários:

Enviar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO: