Número total de visualizações de página

12.03.2012

CORAÇÕES BLINDADOS


 Eu não queria. Ou melhor, não me apetecia. Mas hoje, duas amigas, de tantas dúvidas colocarem, obrigaram-me a pensar. Há pessoas, por aí, que se cruzam com o verdadeiro AMOR, sem conseguir vivê-lo. Porque não o reconhecem. Porque não o vêem. Ou porque não conseguem amar. Há pessoas que acreditam estar disponíveis para amar sem o estarem. Porque estão marcadas pelas mágoas do passado. Ou da infância. Pronto. Não vou entrar por aí. Bastou o trabalho para a faculdade sobre isso. Chega. Outras pessoas, simplesmente, não querem correr mais riscos e fecham a loja. Não querer sofrer é, sem dúvida, um direito que nos assiste. A todos. Mas não será também a nossa tristeza?
Os corações blindados andam por aí. Mas quem quiser encontrar o amor, e vivê-lo, tem de correr riscos, tem de ousar falhar. Porque as nossas desilusões amorosas só nos dão prova de uma coisa fulcral: que ainda sabemos amar.






























































Sem comentários:

Enviar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO: